Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2018 > 03 > Governo lança SuperTEC

Notícias

Governo lança SuperTEC

MDIC e MEC têm até 90 dias para apresentar proposta de qualificação profissional, no âmbito da plataforma

publicado: 21/03/2018 19h57 última modificação: 23/03/2018 12h20
Beto Barata/PR

O governo federal acaba de lançar oficialmente a SuperTEC – plataforma que permite o mapeamento integrado de demandas do setor produtivo por cursos de qualificação profissional. O anúncio foi feito durante a 47ª reunião plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), realizada em Brasília, nesta tarde.

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, foi o responsável por anunciar a medida, como resposta a uma das recomendações do grupo de trabalho “empregabilidade no Brasil do século XXI”. Os conselheiros recomendaram ao governo a promoção do desenvolvimento regional a partir das vocações locais por meio do aperfeiçoamento tecnológico da mão de obra. A proposta visa dinamizar a economia local, além de gerar empregos de qualidade. Coube ao conselheiro Gilberto Peralta apresentar as conclusões e recomendações do grupo.

"Sempre em sintonia com as recomendações deste Conselho, determino ao Ministério de Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e ao Ministério da Educação, que apresentem, em até 90 dias, proposta de programa para qualificação profissional que leve em conta, justamente, as vocações regionais”, afirmou o ministro.

SuperTEC a plataforma foi desenvolvida pelo MDIC e prevê o mapeamento integrado de demandas do setor produtivo por cursos de qualificação profissional, por meio da inserção de dados diretamente pelas empresas. Ela disponibiliza também informações detalhadas sobre as principais formações técnicas, auxiliando o aluno na escolha do curso de seu interesse e permite o cadastro de escolas ofertantes de cursos técnicos. Trata-se de um modelo educacional inovador de desenho de cursos técnicos de forma integrada com as empresas, desde a definição do currículo e visitas dos alunos às empresas até parcerias com canais de empregabilidade. O ministério já possui mais de 6.000 empresas parceiras no mapeamento de demanda.

Outros anúncios – ao reforçar que educação é tida como prioridade de governo, o ministro também deu resposta a outras duas recomendações sobre o tema, inclusive com o anúncio de recentes investimentos da ordem de R$ 1 bilhão para a formação de professores. A reforma do Ensino Médio e a nova Base Nacional Comum Curricular também fazem parte das respostas do governo ao rol de recomendações do Conselhão no grupo de trabalho “empregabilidade no Brasil do século XXI”.